Em 1511, entre as primeiras exportações comerciais do Brasil Colônia, estavam incluídos 15 Papagaios, sendo os..." /> Papagaio Verdadeiro
Papagaio Verdadeiro

Papagaio Verdadeiro

AMAZONA AESTIVA


23/03/2016


História

Em 1511, entre as primeiras exportações comerciais do Brasil Colônia, estavam incluídos 15 Papagaios, sendo os primeiros aqui implantados.

Os Tupis e os Guaranis atribuíam a um Papagaio a sua definitiva distribuição na América do Sul. Segundo reza a lenda, os dois irmãos Tupi e Guarani são estirpes das duas grandes divisões de etnias conhecidas por esses nomes. As mulheres destes dois irmãos disputavam-se um Papagaio e não conseguiam viver em paz. Foi assim que os dois maridos e irmãos de separaram, ficando os tupis ao norte e os guaranis ao sul.

POESIA composta pelo alemão Humboldt.

"Nas solidões do Orinoco vive
frio e imóvel um Papagaio velho,
como se fosse a própria imagem,
talhada em dura pedra.

Abaixo onde caem as águas lutando,
uma tribo a esses penhascos,
chegou proscrita e vencida,
e hoje goza de eterno descanso.

Sucumbiram os Atures, sempre livres,
como tinham vivido, ousados.
Os verdes canaviais das margens
ocultam tudo quanto restava de sua raça.

Ali geme um sinal de dor
o Papagaio, único que tem
sobrevivido os Atures.

Aguça o bico na pedra e faz ressoar
nos ares os seus gritos."

Características

Pode emitir sons semelhante à voz humana.

Tamanho: Mede aproximadamente 36 cm, chegando a atingir 400g.

A característica mais marcante do papagaio é apresentar o bico negro e os pés com dedos opostos e penas coloridas.

Cores: tem em destaque a fronte azul, e o amarelo que se estende por cima e por trás dos olhos contornando-os. Quando jovens, possuem cores mais pálidas em especial na cabeça. A íris do olho é marrom escura e laranja no adulto. É nesta fase que eles devem ser acostumados ao convívio com a família.

Tempo de vida: aproximadamente 20 anos, entretanto, quando bem cuidado, em cativeiro pode chegar aos 60 anos de idade.

Comportamento

Entre os papagaios, o macho e fêmea voam tão juntos um do outro que o casal parece ser uma grande e fabulosa ave de quatro asas.

A melhor defesa que possuem é ficarem imóveis e calados. Os movimentos lentos que assumem ao andarem, treparem ou comerem parecem ser prudentemente calculados servindo também para se ocultarem ainda melhor; na mata traem-se mais pelo barulho de frutos que fazem cair no solo.

Emite um sinal de satisfação e tranqüilidade, no poleiro, através de um estalo produzido pela raspagem da mandíbula contra as ondulações da superfície do "polato".

São muito barulhentos. É o melhor falador dentre os psitacídeos nacionais; treinado desde pequeno, continuam a aprender por vários anos.

Voz: "krik-kiakrik-krik-krik", "kréo" (bem típico), "rak-áu" (voando);

Canto melodioso: "drüo druo-druo-druo drüo drüi dü; pedinchar do filhote "ga, ga, ga, ga".

Confinamento

O tamanho do viveiro depende de como se pretende manter seu papagaio em cativeiro. Se a ave for confinada, o viveiro deverá ser grande o suficiente para permitir o vôo e uma vida confortável. As dimensões podem variar sendo no mínimo 1,6 m de largura x 2,5 m de altura x 3 m de comprimento. Gaiolas suspensas podem ser menores sem problemas para as aves: ressaltando também o tamanho mínimo de 80 cm de largura, 80 cm de altura e 1,80 m de comprimento. Os viveiros e gaiolas suspensas devem ter uma área coberta contra chuva e sol e para a proteção da caixa-ninho.

Se a ave é mantida solta em jardins ou em casa e é presa somente à noite, a gaiola pode ser pequena, como as que são vendidas em lojas especializadas para pássaros. Porém, a gaiola deve ser grande o suficiente para permitir ao papagaio abrir a asa e movimentar-se com facilidade. A tela usada na confecção das gaiolas não deve estar contaminada com material tóxico como zinco ou chumbo. Se a tela for pintada, deve ser usada tinta que não tenha esses metais pesados em sua composição.

Não mantenha aves amarradas ou presas por corrente. Este é um procedimento desumano e que pode trazer danos à saúde da ave. Não mantenha papagaios permanentemente fechados em gaiolas, pois são aves inteligentes e precisam de espaço e atividade. A gaiola é indicada apenas para o período noturno ou para poucas horas de confinamento.

Pode-se manter papagaios em poleiros tipo T. Esse poleiro é onde a ave permanece solta e em descanso, podendo observar e interagir com as pessoas à sua volta. O poleiro em forma de T pode ser confeccionado pelo próprio proprietário, compreendendo uma estrutura de suporte e um poleiro.

Os poleiros das gaiolas e dos viveiros devem ser de madeira, cilíndricos e de espessura que permita à ave se agarrar firmemente. Recomenda-se galhos de árvores de diâmetro adequado às patas da ave, pois permite à ave exercitar-se com poleiro de diferentes diâmetros. Evite poleiros finos ou grossos demais, pois podem causar problemas às patas e articulação das aves. Poleiros ásperos, com espinhos ou de árvores tóxicas devem ser evitados.

Reprodução

O papagaio verdadeiro é uma ave que acasala com um só parceiro por toda a vida.
Nidificam nos troncos ocos de palmeiras e outras árvores; aproveitam-se de fendas pela decomposição, em rochas erodidas ou até em barrancos.
Afofam o fundo de suas cavidades com madeira triturada, o que facilita a secagem do fundo banhado pelas fezes líquidas.
A postura é de 4 ovos. Os filhotes abandonam o ninho após dois meses.

Essa espécie começa a reproduzir tarde, com 3 a 4 anos de vida onde atingem a maturidade. Nidificam de setembro em diante.
Os papagaios não gostam de ser incomodados na época do acasalamento. A fêmea sai do ninho poucas vezes e se alimenta muito pouco. O período de incubação é de 28 dias.

Obs: Em cativeiro os papagaios mantidas em casais devem ter acesso a um ninho tipo caixa. Internamente é utilizado cepilho de madeira não tóxica como substrato para os ovos e filhotes.